190 mil empresas no CE podem solicitar crédito ao Estímulo 2020

Mais uma opção de acesso a crédito voltado para pequenas e médias empresas durante a pandemia chega ao Ceará. Atendendo negócios com faturamento anual entre R$ 120 mil e R$ 2 milhões, 190 mil empresas no Estado estão aptas a solicitar financiamento ao Estímulo 2020.

Em um primeiro momento, estão disponíveis R$ 5 milhões, que devem beneficiar 162 negócios e ajudando a manter 366 empregos. Segundo Ticiana Rolim, fundadora do Somos Um, líder da iniciativa no Estado, a meta é dobrar o valor e chegar aos R$ 10 milhões em crédito e 244 empresas atendidas.

Ela destacou que, antes mesmo do lançamento no Ceará, já havia R$ 21 milhões em pedidos de crédito de 152 negócios cearenses. A Capital concentra a maior parte deles, sendo responsável por 103 solicitações. Entre as atividades, comércio e serviços somam 119 pedidos de financiamento.”Nós sabemos que o Governo Federal tem linhas de crédito, que o Banco do Nordeste (BNB) também tem, assim como outros, mas ainda não é suficiente. Nós não vamos resolver todos os problemas, mas queremos dar oportunidade para as pessoas terem acesso a crédito”, afirmou Ticiana durante coletiva virtual de lançamento na tarde de ontem (25).

Eduardo Mufarej, participante do comitê gestor do Estímulo 2020, explicou que o projeto tem inspiração nos relief funds dos Estados Unidos, os chamados fundos de emergência que são constituídos pela sociedade civil em casos de desastres naturais. “Em circunstâncias de crise, as empresas mais fortes tendem a sobreviver, enquanto as pequenas tendem a sofrer mais. E ambas são do mesmo sistema de empreendedorismo. Nós queremos reduzir a desigualdade através do acesso de recursos”, destacou.

O programa surgiu em São Paulo, se expandiu para Minas Gerais e Rio de Janeiro, e chega ao Nordeste pelo Ceará.”Nós propomos uma mudança de perspectiva. Como sociedade civil, temos a obrigação de colocar a mão na massa e contribuir para resolver parte do problema”, diz Mufarej.

Condições

Para se candidatar ao crédito, as empresas precisam ter faturamento anual entre R$ 120 mil e R$ 2 milhões e ter bons históricos. O capital de giro tomado é limitado a até um mês de faturamento pré-crise, pago em duas parcelas: uma na aprovação e outra após 60 dias, mediante solicitação e aprovação em nova análise de crédito. A taxa de juros é de 6,5%, carência de três meses e pagamento em 18 vezes.

Azor Toledo, também membro do comitê gestor, esclarece que a iniciativa não pretende “enxugar gelo”, focando, portanto, em negócios que eram viáveis antes da pandemia e tenham bom histórico.”Nós também pedimos que o negócio tenha pelo menos dois anos, uma vez que a mortalidade nesse período é muito alta. Todo o processo é feito virtualmente, com resposta em até 48 horas. Após aprovação, os recursos são liberados, em média, em um dia útil e meio”, explica.

Ele acrescenta que, caso o crédito seja negado, o empreendedor recebe um relatório detalhado com os motivos para o resultado negativo. Caso ele consiga sanar alguns dos empecilhos, poderá solicitar o crédito novamente em uma semana.

Rolim ainda pontua que, a médio prazo, os recursos que serão recebidos em decorrência do pagamento do crédito não voltará para as empresas e pessoas que financiaram o projeto. “Esses recursos serão reemprestados, irão ficar girando na economia local”.

Pequenas e médias empresas do Ceará terão mais uma alternativa para o acesso a crédito através do Estímulo 2020. Recursos podem ser recebidos em um dia e meio após aprovação

Escrito por Redação, 23:00 / 25 de Agosto de 2020. Atualizado às 23:11 / 25 de Agosto de 2020

Projeto concede financiamentos a pequenas e médias empresas com dificuldade de acesso no sistema financeiro tradicional. Iniciativa visa ajudar a sobrevivência dos negócios mais fragilizados durante a pandemia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.