Ação entrega marmitas com mensagens de apoio durante pandemia

Por Redação, metro@svm.com.br 06:30 / 11 de Maio de 2020

Projeto “Sem Fome” distribui refeições e ítens de higiene para pessoas em situação de rua em Fortaleza. Organizadores da iniciativa pedem o apoio da sociedade cearense para mais duas datas de doações nas ruas da Capital

Um gesto humanitário na luta contra a Covid-19. Em meio à pandemia, o projeto “Sem Fome” busca amenizar a difícil situação de pessoas em situação de rua distribuindo refeições e materiais de higiene. Mais de 450 marmitas, 300 águas e 50 sabonetes foram entregues na Capital cearense em duas ações. Porém, o gesto solidário vai continuar.

Os organizadores projetam mais duas datas para novas ações. Nos dias 21 de maio e 14 de junho. Para tanto, pedem ajuda da sociedade cearense.

Mensagem de apoio

O projeto também aproxima doador e beneficiário: quem contribui com a ação pode assinar a marmita com uma mensagem de carinho, dedicada a quem está recebendo. “Fazemos questão de colocar uma mensagem, é uma forma de aproximar o doador da pessoa para quem ele está doando” explica a gerente de loja Juliana Leite, que organiza as ações com o marido Fausto Cabral. “É um diferencial porque eles não costumam receber marmitas assim. Eles olham para mensagem e agradecem”, aponta.

A iniciativa nasceu da preocupação do casal com pessoas em situação de rua durante a pandemia. Para eles, o grupo ficou mais vulnerável com o fechamento do comércio durante o isolamento social. “Isso comoveu muito a gente. Eles dependem de restaurantes, de pessoas. A gente queria poder acolher alguns moradores de ruas, de poder dar essa atenção”, comenta a gerente.

Acolhida

O Centro foi o local escolhido para a primeira ação devido à possibilidade de alcançar mais pessoas. “Escolhemos um espaço perto da Avenida Tristão Gonçalves. Lá se concentram muitos moradores”, relembra Juliana.

O casal contactou conhecidos e conseguiu arrecadar doações para 150 marmitas. Um amigo dono de restaurante também ajudou com as refeições. “A ideia era receber na minha casa e aí distribuir para quem precisasse. Fui dormir uma hora da manhã organizando tudo”, conta.

O que começou no núcleo familiar ganhou fôlego após divulgações em redes sociais. “Foi tudo muito rápido. Acabou tomando uma proporção muito maior”, recorda.

Divulgação

O sucesso do projeto, que inicialmente não tinha nem nome, logo rompeu as fronteiras do Estado, conta Juliana. Parcerias e arrecadações passaram a também vir de fora do Ceará. “Quando cheguei em casa, compartilhei vídeos da primeira ação. No mesmo dia recebi mensagens de amigos de fora perguntando como poderiam ajudar. Recebemos doação do Paraná, do Rio Grande do Sul e até da Austrália”, comemora.

O meio esportivo também está engajado com a campanha “Sem fome”. A idealizadora do projeto diz que jogadores de futebol, como Marcelo Cirino, ex-atacante do Athletico e que hoje atua na primeira divisão do Campeonato Chinês, já mandaram vídeos incentivando e parabenizando a ação. “Isso mobilizou demais”, conta a gerente. Outros atletas como Everton (São Paulo), Ricardinho (Ceará), Ricardo Bueno (Buriram United), Yuri César Jr., Madson e Luiz Gustavo (Fortaleza) também mostraram seu apoio. Além deles, Michel, Júnior Pipoca, Iarley e Mota, do Ceará, o técnico de basquete Roberto Andrade e a promessa do surf, o cearense José Brack integram a rede solidária.

Com a adesão crescente, Juliana garante que a ação solidária vai continuar mesmo após o fim da pandemia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.