Fifa 21 agrada com melhor narração de Villani e nova jogabilidade

Escrito por Daniel Pracianodaniel.nobre@svm.com.br 06:30 / 25 de Novembro de 2020.

Game da EA tem várias alterações no modo de jogo, inclusive com uma mecânica que favorece a melhor atuação da IA dos adversários em partida contra a máquina

Normalmente é bem diferente jogar com um humano e com a máquina. Até o Fifa 20, a Inteligência Artificial (IA), tinha pequenas evoluções, mas sempre acabava superada, até com certa facilidade. Na versão 21 do Fifa uma mudança pode ter acabado com isso. É o modo competitivo. Essa opção pode ser ligada ou desligada nas configurações do game, caso você não goste da dificuldade maior. Acredito que sem esta opção você não verá muita graça no jogo contra a máquina. Será algo muito similar a versão do ano passado. O interesse desse modo novo é que se você enfrentar grandes times com craques do outro lado, com o modo competitivo ativado você poderá sentir seu adversário com melhores jogadas e até antecipando mais suas ações. Sinceramente foi uma das melhores mudanças no game. Se você desativar vai ficar muito fácil. 

Rodrygo é um dos brasileiros do Real Madrid que os fãs poderão comandar
Legenda: Rodrygo é um dos brasileiros do Real Madrid que os fãs poderão comandarFoto: EA/Divulgação

Outra mudança salutar no game da EA é o Simulador Interativo de Partidas. Com ele, você pode entrar e sair das partidas a qualquer momento durante os 90 minutos para influenciar o curso da ação ou assumir o controle de momentos, incluindo pênaltis e cobranças de falta, graças aos novos avisos contextuais que permitem aos jogadores e jogadoras alterarem o resultado da partida. Esse formato é interessante porque se, durante uma temporada, você quiser pular jogos contra times mais fracos, será possível também. Avançando e simulando totalmente a partida e passando para duelos mais equilibrados. Eu, particularmente, não pulo nada. Acho interessante usar jogos mais simples para testar novos jogadores e táticas para estar melhor preparado para as partidas mais complicadas.

O sistema de treinamento que melhora o desenvolvimento dos atletas também tem um modo simulação total. Se você quiser pular esta fase é fácil. Porém, achei que esse mecanismo poderia ser indagado apenas uma vez, ou seja, optando para simular todos os treinos para sempre. 

Outra coisa que segue é a negociação de contratos e contratações ou empréstimos. Segue sendo bem interessante, especialmente para quem gosta de gerenciar todos os caminhos do time. Algumas metas parecem meio surreias. Por exemplo: um time como o Liverpool, que já tem um elenco forte, não deveria ter como objetivos da temporada trazer até 3 jogadores de maior destaque e sim peças ocasionais. 

Libertadores

Ela está lá novamente. Exatamente com os grupos bem definidos novamente. Porém, infelizmente, os times brasileiros não podem ter os jogadores oficiais lá. Uniformes e escudos reais e atletas fictícios. Uma pena. Poderia muito bem termos como, ao menos, editá-los. Nada feito. A Electronic Arts poderia ofertar isso na próxima temporada. Afinal, seriam os donos dos jogos a incluir os atletas e não a empresa. Os mods para o Fifa no computador estão aí desde os anos 90 para mostrar que isso só deixa o game ainda mais interessante. Além da Libertadores, Copa Sul-Americana e Recopa Sul-Americana poderão ser jogadas. É bom, mas deixa um sabor agridoce o fato de não ter os nomes e faces de nossos atletas reais.

Ceará e Fortaleza podem ser encontrados na Liga Brasileira, mas sem escalações reais
Legenda: Ceará e Fortaleza podem ser encontrados na Liga Brasileira, mas sem escalações reais

Falando nisso, não só os clubes brasileiros dos torneios sul-americanos não terão rostos e nomes lá. A Liga Brasileira, outra vez, está bem desfalcada. Ao menos podemos jogar com Ceará e Fortaleza e replicar o Clássico-Rei agora no Fifa. Infelizmente, não temos os jogadores de verdade nos dois clubes. Só os uniformes e escudos são os oficiais. Uma pena.

Narração

Sai Tiago Leifert e entra um profissional da narração. Estamos falando de Gustavo Villani. Caio Ribeiro continua. É interessante notar que ele precisou voltar ao batente para trazer toda a emoção de um narrador de verdade, com bordões e narrações bem interessantes. Na primeira vez que joguei o novo Fifa 21 as narrações estavam bem ruins, sem interessação com Caio e o silêncio era quase sepulcral. Mas depois de uma atualização as coisas melhoraram demais. E agora há emoção e aprovação da chegada do narrador global. Me lembrou os tempos de Milton Leite narrando o Fifa de 1999 a 2006, grande momento.

Volta

O Volta é uma espécie de Fifa Street. Uma mistura de free style com rachões que eu e você já nos divertimos jogando. Eu lembro bem dos campeonatos de “travinha” no terrão na escola pública no bairro onde morei. Era muito bom. E esse sentimento de diversão que vemos no Volta. Se você quer curtir, brincar e rodar o mundo, ao menos virtualmente, o Volta é seu modo Fifa. 

Eu não quero ser polêmico, mas achei até mais divertido que o Ultimate Team. Isso porque, agora com o modo online, você pode enfrentar os amigos virtualmente ou jogar com eles contra outros adversários. Vai ser bem bacana. Experimente. 

Interessante notar que até o Fred dos Desimpedidos você poderá encontrar no Volta. Ele deve estar muito feliz de estar entre craques como Kaká, Zidane e Lampard e férias de outros esportes como Giannis Antetokounmpo e o craque da NFL Patrick Mahomes e até a cantora Dua Lipa.

Ultimate Team

No Fifa 21, sem a Liga Brasileira, a maior atração é comandar craques como o goleador Haaland, do Borussia Dortmund, da Alemanha
Legenda: No Fifa 21, sem a Liga Brasileira, a maior atração é comandar craques como o goleador Haaland, do Borussia Dortmund, da AlemanhaFoto: EA/Divulgação

A modalidade mais popular do Fifa ganhou novas atualizações para edição de 2021 do game. Apesar da mecânica de jogo seguir similar ao anterior, a Ultimate Team se tornou mais dinâmico na sequência de desafios de montagem de elenco e também objetivos da temporada.

É possível perceber uma série de tarefas em troca de recompensas, o que exige ao usuário uma maior variedade dos tipos de partida da plataforma: Divison Rivais, Squad Battle e Amistosos. O último listado teve mais ganhos, se tornando importante na aquisição de cards. A experiência é similar, mas formar elencos se tornou mais fácil a depender da dedicação ao cumprir as tarefas.

Colaborou Alexandre MotaDANIEL PRACIANO



ASSUNTOS RELACIONADOS

TecnologiaFifa 21EAElectronic ArtsTiago LeifertGustavo VillaniCaio RibeiroVoltaFifa Street


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.