Iniciada em Lavras da Mangabeira Campanha “Faça Bonito” a conscientização sobre abuso e exploração sexual de crianças e adolescentes

Este ano a campanha “Faça Bonito” completa 21 anos de realização, organizada pelo Comitê Nacional de Enfrentamento à Violência Sexual contra Crianças e Adolescentes e a Rede ECPAT Brasil.

Em Lavras da Mangabeira, a Secretaria do Trabalho e Desenvolvimento Social juntamente com o Conselho Tutelar e o CREAS, iniciam mobilização da sociedade com o intuito de sensibilizar, informar e convocar todos a participar da luta em defesa dos direitos de crianças e adolescentes do município.

O objetivo da campanha é ressaltar a responsabilidade do poder público e da sociedade na implementação do Plano Nacional de Enfrentamento à Violência Sexual contra Crianças e Adolescentes, na garantia da atenção às crianças, adolescentes e suas famílias, fortalecendo o Sistema de Garantia de Direitos preconizado no Estatuto da Criança e Adolescente (ECA) e tendo como lócus privilegiado os Conselhos de Direitos da Criança e do Adolescente no âmbito do município.

Durante este período de distanciamento social, em decorrência da Pandemia do Coronavírus, as ações da campanha foram reformuladas, ocorrendo de maneira virtual, utilizando-se de redes sociais, site, envio de material para a imprensa e divulgação em aplicativos de mensagens.

O mês de maio é dedicado à divulgação de diversas informações sobre abuso e exploração sexual, em alusão ao dia 18. Todas as ações estão sendo realizadas através das mídias sociais. Para falar sobre o assunto, na próxima quarta-feira estarão no Bora Conversar a Secretária do Trabalho e Desenvolvimento Social Izabely Alencar, além de um representante do Conselho Tutelar local e CREAS.

18 de maio

No próximo dia 18 é o “Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes”, a data foi escolhido para relembrar o crime bárbaro chocou todo o país e ficou conhecido como o “Caso Araceli”. Esse era o nome de uma menina de apenas oito anos de idade, que teve todos os seus direitos humanos violados, foi raptada, estuprada e morta por jovens de classe média alta da cidade de Vitória/ES. O crime, apesar de sua natureza hedionda, até hoje está impune. 

POR PORTAL PSC

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.