Resultado do Clássico-Rei pode mudar rumos de Ceará e Fortaleza na Série A; veja retrospecto

Escrito por Vladimir Marques vladimir.marques@svm.com.br 23:00 / 17 de Dezembro de 2020. Atualizado às 23:35 / 17 de Dezembro de 2020

Pela magnitude do duelo, uma vitória domingo no Castelão dá uma injeção de ânimo para os jogos seguintes da Série A, enquanto uma derrota torna o clima de pressão inevitável; histórico mostra as duas faces do Clássico-Rei

Ceará Fortaleza realizam no domingo, às 20h30, o 7º Clássico-Rei da temporada 2020, pela 26ª rodada da Série A do Campeonato Brasileiro. Em jogo, estão mais do que os três pontos na tabela pela magnitude da rivalidade. 

Trata-se de uma partida tão importante nas histórias de Vovô e Leão que o desfecho de um confronto pode definir rumos das equipes nas competições. Não é exagero afirmar que uma vitória dá uma injeção de ânimo e confiança para os confrontos seguintes e uma derrota faz o efeito contrário, tornando o clima de pressão inevitável, sendo difícil uma retomada na competição.

Ouça o podcast ‘CearáCast’

Powered by RedCircle

E pelo último resultado das duas equipes, com derrotas para adversários diretos no último sábado – o Leão para o Bragantino fora e o Vovô para o Atlético/GO em casa, ambos por 2 a 1 -, o Clássico-Rei ganha ainda mais importância. Isso porque o Alvinegro terminou a rodada em 11º com 32 pontos, enquanto o Leão em 13º com 30, permitindo a aproximação do bloco de baixo que luta pela permanência restando 13 rodadas do Brasileirão.

Legenda: Vina é o melhor jogador do Ceará em 2020 e já decidiu um Clássico-Rei este ano, marcando o gol da vitória pela Série A do BrasileiroFoto: Thiago Gadelha / SVM

Além das subidas de Atlético/GO e Bragantino pelas vitórias contra os cearenses, o Corinthians venceu o São Paulo, chegando a 33 pontos, o Sport venceu o Coritiba, chegando aos 28, e o Vasco arrancou um empate com o Fluminense, reduzindo sua distância para ambos. Hoje o Vovô está com sete pontos de vantagem para o Z-4, o Leão registra cinco. Logo, uma derrota no Clássico-Rei, somadas as vitórias de Vasco e outros adversários diretos, como Sport e Bragantino, pode deixar o cearense que perder o confronto em situação complicada.

Ouça o podcast ‘FortalezaCast’

Powered by RedCircle

Em contrapartida, quem vencer o duelo ganha uma moral daquelas para se consolidar no grupo da Copa Sul-Americana, que hoje vai do 7º ao 12º lugar na classificação. Caso o Vovô vença o Clássico-Rei, volta ao cenário de antes da 25ª rodada, em 9º lugar, abrindo cinco pontos para o rival Fortaleza e 10 do Z-4. Seria a volta de uma boa fase que vinha firme após vencer fora de casa Vasco (4×1) e Bahia (2×0), até perder para o Atlético/GO no Castelão por 2 a 1. E para os próximos cinco confrontos – Santos (F), Internacional (C), Flamengo (F), Bragantino (C) e Goiás (F) – buscar pelo menos 10 pontos, chegar aos 45 e praticamente garantir a permanência na Série A com 31 rodadas disputadas.

“A gente sabe da dimensão do clássico aqui no nosso Estado e vamos dar o nosso melhor para sairmos com a vitória. Não será um jogo fácil, assim como todos os outros da Série A, mas estamos trabalhando para sair do Castelão, no domingo, com o nosso objetivo alcançado”, declarou o atacante alvinegro, Léo Chú.

Já o Tricolor vencendo o Clássico-Rei, pode subir três posições, ultrapassando o rival Ceará e abrindo oito para o Z-4, dando um respiro para Marcelo Chamusca, que já vê seu trabalho contestado após um mês, com apenas uma vitória em seis jogos. Após o Clássico, a sequência do Leão – Flamengo (C), Sport (F), Grêmio (C), Internacional (F), Santos (C) – é mais difícil que a alvinegra, com o time precisando se superar para somar pelo menos nove pontos que o deixariam próximo da permanência. “A torcida pode esperar muita vontade e muita entrega. A gente sabe da dificuldade que vai ser, mais um Clássico, o último. Vai ser um jogo truncado, mas esperamos conseguir essa vitória que vai ser importantíssima para nós”, disse Tinga, lateral do Leão. O certo é que no futebol, onde o psicológico é tão importante quanto a qualidade técnica e o físico, vencer um Clássico-Rei pode significar embalar na Série A do Brasileirão.

Histórico

Legenda: O lateral-direito Tinga tem se destacado nos Clássicos-Rei este ano, marcando dois gols nas finais do EstadualFoto: Thiago Gadelha / SVM

Nos últimos anos, tanto Ceará quanto Fortaleza têm exemplo claros de que uma vitória contra o outro pode alavancar uma campanha. Em 2019, Vovô e Leão estavam empatados em pontos – 36 – e se enfrentariam pela 32ª rodada. 

O Leão venceu o jogo com gol de Wellington Paulista e não perdeu mais na Série A, embalando para a vaga na Copa Sul-Americana. Após vencer o Vovô no Castelão, o Tricolor venceu CSA, Santos, Goiás e Bahia e empatou duas: Inter e Fluminense, terminando a Série A com 53 pontos. 

Já o Ceará embalou para o título da Copa do Nordeste deste ano ao vencer o Fortaleza em Salvador, em jogo único pelas semifinais com gol de Klaus. O Vozão chegou embalado para as finais contra o Bahia, vencendo os dois jogos (3×1 e 1×0) e sagrando-se campeão invicto. 

Os exemplos negativos, após derrotas também existem. Em 2019, o Vovô perdeu o Clássico já citado da 32ª rodada da Série A e não venceu mais, só escapando da queda na última rodada. Já 10 anos antes, o Tricolor de Aço foi derrotado pelo Ceará na Série B de 2009, por 1 a 0 gol de Mota, em jogo da 28ª rodada. Enquanto o Leão só voltaria a vencer dois dos últimos 10 jogos e acabaria rebaixado, o Vozão se manteve firme para o acesso.Quero receber conteúdos exclusivos de esporte


ASSUNTOS RELACIONADOS

EsportesEsportes/brasileirão série aEsportes/arena castelãoEsportes/clássico-reiEsportes/ceará sporting clubEsportes/fortaleza esporte clube


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.