Vendas do comércio no Ceará crescem 4,2% em dezembro, mas resultado em 2020 é negativo

Escrito por Redação, 11:14 / 10 de Fevereiro de 2021. Atualizado às 11:35 / 10 de Fevereiro de 2021

De acordo com a Pesquisa Mensal do Comércio (PMC), a receita nominal do varejo ampliado no Ceará apresentou uma queda de 5% no acumulado do ano e em 12 meses. Resultado fica atrás apenas da Bahia

O comércio varejista ampliado no Ceará – que considera as vendas de veículos, motos, partes e peças, além de material de construção – apresentou queda de 5% em 2020, a segunda maior entre os estados do Nordeste. O resultado do Ceará fica atrás apenas da Bahia, que apresentou queda de 7,9%. Os dados são referentes a Pesquisa Mensal do Comércio (PMC), divulgado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta quarta-feira (10). 

Atrás do Ceará, estão os estados de Rio Grande do Norte (-4,2%), Sergipe (-3,1%), Alagoas (-0,6%) e Pernambuco (-0,4%). 

 Com reforma, carga tributária do varejo seria reduzida até pela metade

 Qual o futuro do varejo pós-pandemia?

 Varejo no Brasil deixará de faturar R$ 15,8 bi com feriados, diz FecomercioSP

Em dezembro, na comparação com igual mês de 2019, o Estado apontou crescimento de 4,2%. Já na passagem de novembro para dezembro, o comércio varejista ampliado teve queda de 4,4%. 

Dentro do grupo de atividades do comércio varejista ampliado, a maior queda veio do setor de tecidos, vestuários e calçados, com recuo mensal de 22,6%.

Entre as dez atividades pesquisadas pelo IBGE, apenas três apresentaram crescimento nas vendas, considerando o acumulado de2020. São elas: material de construção (5,8%) equipamentos e materiais para escritório (5,0%) e hipermercados e supermercados (3,8%). Quero receber conteúdos exclusivos sobre negócios


ASSUNTOS RELACIONADOS

EconomiaEconomia/comércioInstituicões e Partidos/ibgeIBGE


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.